O Programa

Requalificação do Centro

Resultado de anos de pesquisa e planejamento da Prefeitura Municipal, o Programa Reviva Campo Grande é um conjunto de intervenções e obras destinadas a promover a dinamização da economia e qualificação dos espaços públicos da região central da cidade.

Um programa robusto que envolve vários setores públicos e entidades privadas para garantir eficiência do transporte coletivo, mobilidade urbana, acessibilidade e fortalecimento dos instrumentos de planejamento e gestão urbana da Prefeitura Municipal.

Para colocar em prática toda essa transformação no centro de Campo Grande, o Programa conta com investimento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), celebrando o Contrato de Empréstimo n. 3630/OC-BR, firmado em 12 de maio de 2017.  

Após sua completa implantação, o Reviva Campo Grande devolverá para capital uma região reabilitada, com todos os atributos estruturais, econômicos, sociais e culturais para cumprir sua função de espaço público acessível, seguro e democrático, com qualidade ambiental e urbanística.

E tudo isso começou pela Requalificação da 14 de Julho, uma das mais importantes ruas do centro, buscando ampliar o número de frequentadores, fomentar a diversificação de usos e atividades, além de estender o horário de funcionamento do comércio.

Para isso, em cerca de 1.400 metros da rua 14, da Avenida Fernando Corrêa da Costa até a Avenida Mato Grosso, foram feitas obras de infraestrutura:  

*Pavimentação;

*Alargamento e padronização das calçadas;

*Modernização da sinalização viária;

*Instalação de mobiliário urbano padrão;

*Paisagismo e arborização;

*Instalação de câmeras de monitoramento;

*Instalação de rede subterrânea de energia elétrica e telecomunicações;

*Obras de saneamento com a substituição e melhorias da rede de distribuição de água, rede coletora de esgoto sanitário e microdrenagem.

Para gerenciar tudo isso, o Reviva conta com uma Unidade Gestora do Programa – UGP, criada em âmbito do Município de Campo Grande por intermédio do Decreto n. 12.764, de 7 de dezembro de 2015. Ela é responsável por coordenar a participação das diversas secretarias e provedores de bens e serviços na execução do Programa, em conformidade com as políticas e normas do BID.

Também foi instituída uma Comissão de Acompanhamento das Obras da Rua 14, formada por representantes de vários órgãos ligados ao comércio.

Habitação do Centro

A Prefeitura firmou, como contrapartida ao investimento, viabilizar intervenções que destinam-se a acelerar os processos de ampliação da oferta habitacional e de dinamização econômica local, visando fomentar a ocupação de áreas com vazios urbanos e a revitalização do comércio na Zona Especial de Interesse Cultural (ZEIC), por meio da melhoria da infraestrutura e dos espaços públicos.

Um projeto piloto de habitação no centro, envolvendo cerca de 1000 novas unidades habitacionais, será implantado a partir de estudos de viabilidade econômico-financeira, modelagem jurídico-institucional e elaboração de termo de referência para gestão pós-ocupação para desenhar incentivos para o setor privado colocar em uso as edificações vazias e/ou subutilizadas no centro.

O objetivo é fazer do centro uma região residencial, promovendo familiaridade, pertencimento e fluxo constante nesses bairros pelas pessoas que lá habitarão.

Para fortalecer todos esses propósitos, também será colocado em prática na região o PAC Mobilidade e o PAC Pavimentaçãointervenções em várias vias do centro, adjacentes à Rua 14 de Julho, promovendo melhoria na locomoção e acesso dos cidadãos. Estão previstos mais de 30 km de faixas exclusivas para ônibus, novas estações de embarque e desembarque e a reforma e ampliação do Terminal Morenão.

Dinamização econômica e cultural:

Além dos estabelecimentos comerciais, a rua em si deve passar a ser um atrativo para a população. Pensando nisso, a proposta é realizar, no pós-pandemia, eventos abertos ao públicopara que as pessoas voltem a ter no centro um ponto de encontro favorável ao lazer e à cultura.